Anterior


O presidente Pr. Evaldo participa da Bíblia Manuscrita

04/01/2022

Anterior

Próxima


05/01/2022

Próxima
11/01/2022
SÉRIE: História dos tradutores da Bíblia 1

King James
Por: Bianca Terra - 04/01/2022

Imagens - Pixabay

 

Essa versão da Bíblia Sagrada é uma das mais bem consideradas e respeitadas, na época a liderença era do Rei James ou Rei Tiago, o mesmo reinou na Inglaterra, Escócia e Irlanda, entre os séculos XVI e XVII. A Bíblia Sagrada na versão King James procede até os dias de hoje como uma das mais bem vistas, e por esse motivo, não poderíamos deixá-la de fora dessa série.



Antes de existir a versão King James, a versão que predominava em seu reino e por toda a Europa era as escrituras em Latim, por conta da forte influência da igreja católica romana. Após a separação entre a igreja inglesa e romana, que começou a surgir versões da bíblia na língua inglesa.



Um dos motivos para o surgimento da versão King James foi o conflito entre os partidos religiosos e políticos, naquela época também havia muitas questões sobre as diferentes traduções existentes naquela época, em uma conferência realizada no ano de 1604, o rei Tiago autorizou uma tradução bíblica na língua inglesa, que proporcionasse aproximação para a maioria dos cristãos que na época tinham diferentes posicionamentos. Um detalhe diferente era que não tinha ilustrações, notas de rodapé e nem mesmo comentários como na maioria das outras cópias, muitas traduções foram usadas para chegar a essa versão, incluindo a bíblia de Genebra. Mais de 50 eruditos que eram homens que possuíam uma cultura vasta, sobre um determinado assunto, se envolveram com esse trabalho por mais de 7 anos, finalizando por volta de 1611.



Para você que gosta de estudos bíblicos, a bíblia King James é ótima para esse intuito, não é atoa que ela é a versão mais vendida no Brasil, por sua diferença, que é a fidelidade ao texto receptus, seu conteúdo não difere das outras versões, continua com 66 livros, contendo 39 livros do Antigo Testamento e 27 do Novo Testamento, diferente da bíblia católica que vem com 7 livros a mais, que são os livros apócrifos.



É importante frisar a importância dos estudos bíblicos, é um modo de se aprofundar em conhecer o que Deus quer lhe falar, mostrar ou revelar, não é algo que iniciou nos dias de hoje, é algo que já a bastante tempo vem sido divulgado, a igreja primitiva utilizava de estudos bíblicos como um meio de divulgação ao demais, que sem dúvidas, os trazia muita intimidade com O Pai, sobre conhecer e reconhecer os dias.

 

 

Fontes de colaboração: Canal Porta estreia.

 

 



Veja mais fotos:








Nossas redes sociais

Instagram: @bibliamanuscrita
Facebook: Bíblia Manuscrita
E-mail: bibliamanuscrita@unigrejas.com